Ação de vereador mobiliza o Sindiágua.

Após o vereador Renan Bender ter protocolado Ação Civil Pública contra a Companhia Riograndense de Saneamento Básico-CORSAN, houve a mobilização do SindiÁgua (representa o corpo de funcionários da CORSAN) devido a solicitação feita pela Delegada Sindical, em Quaraí, Luiza Mestreti.

Os funcionários de Quaraí ficaram sujeitos a muitas críticas da população, pela falta de água por ocasião da queda de torres e poste de energia elétrica e, devido a tal situação, houve a mobilização do SindiÁgua, que esteve presente na sessão ordinária da Câmara de Vereadores, na defesa dos funcionários quaraienses.

O Sec. Regional Pampa/Fronteira do SindiÁgua, Sr. Jadir Ávila da Rosa, em seu pronunciamento na Casa Legislativa, falou que a responsabilidade pelo fornecimento de Energia elétrica compete a AESSul, que a CORSAN é uma consumidora, em poucas palavras, defendeu a não privatização da água, por ser um bem público merecedor de controle pela sociedade e que a mobilização e a vinda a Quaraí, do SindiÁgua, era devido a Ação Civil Pública proposta pelo vereador Renan Bender, que se pronuncia desta forma sobre o caso.

“Não solicitei, junto ao Ministério Público, uma ação contra a CORSAN local e sim contra a Companhia RioGrandense de Saneamento Básico, que tem contrato firmado com a Prefeitura de Quaraí para exploração da água, coleta, transporte, tratamento e destino final do esgoto sanitário; tive esta iniciativa por ter, em 2013, quando Presidente do Legislativo, solicitado diretamente ao então Presidente da CORSAN a disponibilidade de geradores de emergência para suprirem a falta de energia nos poços artesianos responsáveis pelo abastecimento de água na cidade. Devido a esta ação, houve, por parte da Luiza Mestreti, o convite para que o Sindiágua se fizesse presente em Quaraí na defesa de seus filiados, o que acho muito interessante, pois, devido a presença dos sindicalistas em nossa cidade, temos mais um fator de acréscimo na luta para que tenhamos um serviço de abastecimento da água ininterrupto. Outro fator que se acrescenta é o fato de que sofrendo Ação Civil Pública, proposta por mim, diga-se: “pelo mero exercício do cargo de vereador, sem quaisquer outras intenções”, a própria CORSAN deverá acionar a empresa que deve cumprir com o fornecimento de energia elétrica”.

“Quero ressaltar que há, por parte da Câmara de Gestão da Crise de Energia Elétrica, na resolução Nº 60, uma artigo que determina: em áreas essenciais a falta de abastecimento de energia elétrica não pode ultrapassar quatro horas, sendo as estações de abastecimento de água um desta, documento que me foi entregue pelo ex-presidente e atual Diretor de Comunicação do SindiÁgua, Sr. Rui Porto, que no final do mês estará comigo, em rádio local, tratando do tema. Acredito que, através do somatória de forças: forças políticas, Ministério Público Estadual, Procuradoria da Republica, ambas acionadas por mim, poderemos equacionar esta situação, pois na questão da água, como bem de consumo imprescindível a humanidade, devemos mantê-la em domínio e controle público, sem qualquer espécie de privatização que vise meramente o lucro”, conclui Renan Bender.

Foto: Assessoria do Vereador.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *