Wanderers de Artigas está entre os grandes do Interior do Uruguai.

Somente três times acumulam em sua galeria de títulos quatro conquistas do Torneio de Clubes Campeões do Interior no Uruguai, e desde este domingo 23 de agosto os boêmios são um deles. Os outros são Atenas de San Carlos e Estudiantil de Paysandú.

O torneio é amador, mais o maior reflexo disso deve estar na arbitragem dos jogos, que deixa muito a desejar. O time artiguense viajou três dias antes da finalíssima, concentrou em um hotel de Piriápolis, treinou em campo neutro e somente se deslocou a cidade do jogo horas antes do embate com o San Carlos de Maldonado. O treinador é o ex-jogador profissional Rafael Aguerre, com passagem em importantes times, e conta em seu elenco com jogadores de igual histórico, como o quaraiense Fabiano Mazzini, destaque do time ao longo do torneio disputado em jogos de ida e volta, e com vasto currículo.

Com um futebol eficiente, o Wanderers venceu o San Carlos por 3 a 1, no Estádio Domingo Burgueño, em Maldonado, na tarde deste domingo, e conquistou pela quarta vez o Torneio do Interior. Ambos os times jogaram com dez homens desde o primeiro tempo, que começou acalorado, e a vantagem apareceu no complemento de trinta minutos, traz empate em um gol no tempo regulamentário.

Lembrei, o futebol é amador, mais os amadores são os juízes e os tendenciosos integrantes da organização. Mas nada pode com o futebol apresentado nesta jornada, e ao correr do torneio aos dirigidos por Aguerre. A importância e o significado do triunfo de hoje está gravado nas principais páginas da história do futebol uruguaio. A imprensa de Artigas (Terminal FM, Viva FM, Fronteira AM, Canal 8) enviou a suas equipes esportivas a mais de 750 km, com o investimento que isto significa. Torcedores organizaram excursões e muitos foram em carro. Todos atrás de um sonho, que fora conquistado por estes guerreiros: Mazzini, Monge, Lima, Burutaran, Alves, Diaz, Romero, Marques, Souza, Fagúndez, Martinez, Peralta, Paz, Suarez, Ledesma, López e Garcia da Rosa, para a alegria descontrolada dos Soravilla, Araújo, Forastiero, Taborda, Capó, que “empujaron siempre”.

Parabéns ao time do Velho Tanque, aos boêmios, levantem as taças, o seu coração poderá ter as cores pretas e brancas, mais o seu nome se escreve em letras douradas.

Texto: in memoriam a Dinarte Pereira, meu tio boêmio. O editor

Foto: Divulgação.

Você pode gostar...

1 Resultado

  1. Marcos disse:

    Gracias Sergio por estas frases.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *